Junho 2022

Junho 2022

Newsletter Bússola 21 #6 – Docentes e Alunos agentes de mudança

EDITORIAL
Daniela Gonçalves
Helena Marques

Quando os Docentes são decisores do Currículo

O exercício de refletir sobre as diferentes etapas da intervenção educativa (observação, planificação, ação, avaliação, divulgação, comunicação) de natureza curricular, desde a conceção do currículo até à avaliação, realça a importância decisiva do papel do professor enquanto agente de inovação e mudanças que contribuem para um processo de aprendizagem significativo. Torna-se, portanto, evidente que a gestão curricular pressupõe uma atividade dinâmica e contínua, implicando o sistemático desenvolvimento pessoal e profissional do professor, que resulta, na nossa conceção, da convicção e necessidade sistemáticas de alterar o conhecimento, as crenças e as práticas profissionais, tendo em conta o propósito pedagógico. 

É nossa convicção de que, ao desenvolver-se profissionalmente, o docente através da análise e reflexão sobre a gestão curricular, potencia a inovação e a mudança das(nas) escolas o que, por sua vez, cria novas necessidades e exigências ao nível da gestão curricular e implica novas necessidades em termos de desenvolvimento profissional. Ora, tal processo enquadra-se na justa medida no conceito de inovação pedagógica “como um meio, cuja finalidade é a de melhoria, não como um fim, sendo um processo estruturado e intencional […] de (re)criar e/ou (re)orientar, de forma coletiva e sistemática, uma finalidade” (Gonçalves & Marques, 2020, p.41). 

De acordo com o ideário, missão e valores da Congregação das Irmãs Doroteias, preconizamos o princípio de que os docentes devem ser considerados (e devem autoconsiderar-se) profissionais autónomos no processo de planificação da gestão curricular, e não apenas como transmissores neutrais de uma proposta curricular prescrita por outros. Por outras palavras, a consideração das necessidades evidenciadas pelos docentes deve converter-se na componente legitimadora da gestão curricular e das práticas de ensino, a fim de que possam, efetivamente, participar ativamente da mudança no (e do) centro educativo que servem. 

Foi neste âmbito que no ano letivo de 2021/2022 tiveram lugar todas as dinâmicas da área de Gestão do Currículo, envolvendo mais de 1000 alunos do 1.º Ciclo do Ensino Básico até ao Ensino Secundário e mais de 100 docentes dos vários centros educativos, das quais se deixa aqui uma sumária representação – cenários de aprendizagem, projetos interdisciplinares, metodologias ativas significativas, revisão curricular e incorporação do Perfil dos Alunos das irmãs Doroteias – tornando evidente que toda e qualquer capacitação para o ato de inovar depende das intenções e decisões dos docentes.

Artigos da newsletter de junho 2022

Um, dois, esquerdo, direito… – Domínio de Autonomia Curricular
Autoria: Mafalda FrazãoCentro Educativo/Instituição: Externato do ParqueContacto: mafaldafrazao@externatodoparque.pt Um, dois, esquerdo, direito… – Domínio de Autonomia Curricular Uma vez que a lateralidade é uma competência de aprendizagem muito relevante, e que na avaliação diagnóstica das crianças das turmas …
Ler o artigo
A Bússola que nos orienta: Gestão do Currículo
Autoria: Helena VieiraCentro Educativo/Instituição: Colégio Nossa Senhora da PazContacto: helenavieira@colegiodapaz.org A Bússola que nos orienta:Gestão do Currículo A gestão curricular é uma prática inerente e quotidiana à profissão docente. O salto em direção à inovação neste domínio …
Ler o artigo
Cenário de aprendizagem e STEAM – uma conjugação feliz
Autoria: Marta FigueiredoCentro Educativo/Instituição: Colégio da Imaculada ConceiçãoContacto: p105@cicviseu.net Cenário de aprendizagem e STEAM – uma conjugação feliz Na sequência de uma formação para docentes sobre M.A.S. aliou-se o STEAM a um cenário de aprendizagem planificado para o …
Ler o artigo
Metodologias Ativas Significativas – Flipped Classroom
Autoria: Sónia CorreiaCentro Educativo/Instituição: Colégio do SardãoContacto: soniacorreia@colegiodosardao.org Metodologias Ativas Significativas – Flipped Classroom Ao longo deste percurso de aprofundamento dos conceitos de Gestão do Currículo e de implementação de estratégias de ensino e aprendizagem inovadoras, tem sido …
Ler o artigo
Redesenhando práticas letivas nas Ciências Naturais do 7º ano
Autoria: Inês Carvalho | Luísa Leitão | Maria João RodriguesCentro Educativo/Instituição: Colégio de Santa DoroteiaContacto: ines.carvalho@csdoroteia.info | luisa.leitao@csdoroteia.info | mariajoao.rodrigues@csdoroteia.info Redesenhando práticas letivas nas Ciências Naturais do 7º ano Esta formação teve como objetivo incorporar o Perfil …
Ler o artigo
Abril 2022

Abril 2022

Newsletter Bússola 21 #5 – A minha Escola de sonho

EDITORIAL
Irene Cortesão
Irene Cortesão

Irene Cortesão

Se eu inventasse uma escola

É preciso ter esperança, mas ter esperança do verbo esperançar; porque tem gente que tem esperança do verbo esperar. E esperança do verbo esperar não é esperança, é espera. Esperançar é se levantar, esperançar é ir atrás, esperançar é construir, esperançar é não desistir! Esperançar é levar adiante, esperançar é juntar-se com outros para fazer de outro modo…

Paulo Freire

A escola é, acreditamos nós, um lugar de esperança. Mas de esperança, como diz Paulo Freire, em que não basta esperar pelo futuro. Uma esperança que nos faz mover, construir um caminho de mudança que nos leve a uma Escola onde todos se sintam parte, onde todos sejam escutados, onde todos contribuam para construir uma Escola melhor, um lugar que ajude a melhorar o mundo.

Foi com este pensamento que resolvemos convidar as crianças e alunos do Centros Educativos das Irmãs Doroteias a sonhar connosco uma escola melhor. Desafiamos todos os centros a escutar as crianças e alunos sobre a escola que gostariam de inventar. Neste desafio pedimos que nos contassem como seria a Escola que gostariam de inventar: o que mudariam nas suas salas, nas suas aulas, nos espaços comuns da escola, na forma de gerir a escola, na e com a comunidade envolvente.

E as crianças e os jovens, como sempre que são escutados, falaram de ideias muito importantes. Recolhemos opiniões desde a creche até ao ensino superior. Deram ideias, opiniões, falaram de mudanças que consideram necessárias, de aspetos que gostariam de melhorar e também do que gostam na(s) escola(s) que têm. Com os mais pequeninos, foi necessário adaptar estratégias e discursos, é claro. Mas todos nos conseguiram falar da sua escola de sonho.

Esta newsletter convida-nos, assim, a sonhar uma Escola.

O primeiro texto que partilhamos é da autoria de crianças da creche do Instituto São José, Vila do Conde. O segundo e o terceiro textos são da autoria de crianças do jardim de infância da Obra Social Paulo VI, Lisboa, e de crianças da Fundação Imaculada Conceição, Covilhã, respetivamente. O quarto e o quinto textos da newsletter foram feitos por alunos do Primeiro Ciclo do Ensino Básico do Externato do Parque, Lisboa, e do Colégio do Sardão, Vila Nova de Gaia respetivamente. O sexto texto foi realizado por alunos do Segundo Ciclo do Ensino Básico do Colégio da Imaculada Conceição, Viseu (2º Ciclo), o sétimo por alunos do Terceiro Ciclo do Ensino Básico do Colégio de Santa Doroteia, Calvanas, Lisboa, o oitavo por alunos do Ensino Secundário do Colégio Nossa Senhora da Paz, Porto. O último texto é da autoria de uma estudante do Mestrado Em Educação Pré-Escolar e Ensino do Primeiro Ciclo do Ensino Básico, da Escola Superior de Educação Paula Frassinetti. 

Agradecemos a todos os autores a generosidade das suas partilhas. Convidamo-vos a sonhar com eles.

Artigos da newsletter de abril 2022

Três nomes, três escolas
Autoria: Camila (6 anos), João (5 anos), Bruno (6 anos) e KathyCentro Educativo/Instituição: Obra Social Paulo VIContacto: katherine.silva@obrasocialpaulovi.pt Três nomes, três escolas João, o futurista O nome da minha escola era Escola João, como eu. Era uma escola diferente. …
Ler o artigo
Se eu inventasse a minha escola
Autoria: DC, Aluno do 12º anoCentro Educativo/Instituição: Colégio Nossa Senhora da PazContacto: anamonteirogomes@colegiodapaz.org Se eu inventasse a minha escola Como qualquer criança/adolescente já inúmeras vezes questionei o funcionamento das escolas especialmente após ter passado por 4 escolas diferentes. …
Ler o artigo
Na nossa escola, sala, Queremos…
Autoria: Grupo de crianças de 2 anosCentro Educativo/Instituição: Instituto São José, Vila do CondeContacto: ed.adriana@institutosjose.pt Na nossa escola, sala, Queremos… Ao grupo dos 2 anos foram apresentadas algumas questões, adaptadas à faixa etária, como forma de documentar a …
Ler o artigo
Uma Escola de sonho
Autoria: Grupo de crianças de 5 e 6 anosCentro Educativo/Instituição: Fundação Imaculada Conceição, CovilhãContacto: fatima.tarouca@doroteiascovilha.net Uma Escola de sonho A Escola que eu ia inventar era uma escola muito grande, onde ia haver muita brincadeira! Lá fora, na rua, …
Ler o artigo
A minha escola de Sonho…
Autoria: Diana Raquel Saraiva Pinto, Mestranda em Educação Pré-Escolar e 1º Ciclo do Ensino BásicoCentro Educativo/Instituição: Escola Superior de Educação de Paula FrassinettiContacto: 2017051@esepf.pt A minha escola de Sonho… Se eu inventasse a minha escola, esta seria uma …
Ler o artigo
Se eu inventasse a minha escola…
Autoria: MC, Aluno do 4º anoCentro Educativo/Instituição: Externato do ParqueContacto: dulcemiranda@externatodoparque.pt Se eu inventasse a minha escola… Se eu inventasse a minha escola, eu queria que várias coisas fossem diferentes, como as salas de aula, o recreio, o …
Ler o artigo
A escola perfeita
Autoria: JF, Aluno do 7º anoCentro Educativo/Instituição: Colégio de Santa Doroteia, Calvanas, LisboaContacto: dina.ressurreicao@csdoroteia.info A escola perfeita A minha escola perfeita chamar-se-ia “A Escola de Sonhos”. Eu gostaria que as turmas fossem mais pequenas, para haver uma melhor …
Ler o artigo
Se eu inventasse a minha escola
Autoria: SN, Aluna do 4º anoCentro Educativo/Instituição: Colégio do SardãoContacto: paulo@colegiodosardao.org Se eu inventasse a minha escola Se eu inventasse a minha escola, a sala de aula seria muito moderna, a cantina e a escola seriam enormes.  Nesta escola, …
Ler o artigo
A minha escola de sonho
Autoria: SN, Aluna do 6º anoCentro Educativo/Instituição: Colégio da Imaculada Conceição, ViseuContacto: tomoparte@cicviseu.net A minha escola de sonho Na minha escola de sonho, as crianças poderiam usar a roupa que bem entendessem. Poderia haver uniforme de cerimónia. No …
Ler o artigo
X