“Wake Up!” – Conheço o meu Corpo

“Wake Up!” – Conheço o meu Corpo

“Wake Up!” – Conheço o meu Corpo

Os alunos do 3º e do 4º ano viveram o Projeto “Wake Up!” – Conheço o meu Corpo. Numa sessão de Interioridade, levaram-se os alunos a reconhecerem-se como únicos, conscientes das suas emoções. Em aula, a história “O Pássaro da Alma” foi interpretada e elaborou-se um guião de compreensão.
Posteriormente, os alunos foram surpreendidos por um pássaro à entrada das salas, com um enigma para descodificar, que os levou à mata do Colégio, onde partiram à descoberta dos ossos do esqueleto humano que aí estavam enterrados e, posteriormente, reconstruíram-no. Esta atividade motivacional introduziu a unidade de trabalho sobre o corpo humano. Organizaram-se “estações pedagógicas” que facilitaram o processo de ensino e de aprendizagem dos alunos.
Seguidamente, realizaram a compreensão e escuta ativa do poema “O esqueleto”.
E não podiam deixar de desenvolver os dotes vocais… Aprenderam e cantaram a música “Da cabeça aos pés”, acompanhada por uma divertida coreografia.
Legendaram, em Português e Inglês, o esqueleto que descobriram. Foi um dia cheio de atividades e rico em aprendizagens!
Utilizando a metodologia da sala de aula invertida, propôs-se aos alunos que recolhessem material sobre animais vertebrados e invertebrados. Depois, construíram cartazes com o material recolhido.
Quiseram saber mais… improvisou-se um laboratório. Será que os ossos se mantêm sempre resistentes? Foi a questão problema que os orientou numa atividade experimental. Cumpriram o procedimento sugerido, prevendo e registando o que aconteceria aos ossos e aos líquidos em 10 minutos, 2 horas e 2 dias.  Conforme o tempo foi avançando, observaram e registaram as evidências na carta de planificação. Concluíram que as substâncias ácidas desgastam o cálcio existente nos ossos, enfraquecendo-os.
Paralelamente, pesquisaram os alimentos que fortalecem os seus ossos, comemoraram o Dia Mundial da Alimentação com um batido saudável de leite, banana e morango.
Em Educação Física, jogaram ao “Mexe o esqueleto”. Neste jogo reproduziram as posições que a Poli mostrou nos cartões com os esqueletos.
Em novembro, construíram os vários sistemas do funcionamento do seu corpo, desenhando e legendando nas t-shirts, em Inglês, o sistema digestivo, sua constituição e função.
E de que sistema fará parte o nosso coração? Após a sua descoberta, os alunos construíram o principal órgão do sistema circulatório.
Entretanto,… descobriram o sistema respiratório e seu funcionamento. 
Como?
Construíram o aparelho respiratório, com materiais do dia a dia, compreendendo o seu funcionamento.
O resultado final do projeto… ficou incrível!
Pela boca das crianças e dos adultos ecoavam frases…
“Uau! Que espetáculo!” “Aprender assim é divertido!” “Foram mesmo vocês que fizeram?!” “Foi a melhor exposição que já vi!”
Sim, esta exposição foi diferente… itinerante, em que as crianças passearam pelo colégio, com as t-shirts, onde estavam registados os sistemas aprendidos!
Foi realmente um GRANDE PROJETO!

Autoria: Susana Moreira e Liliana Freitas
Centro Educativo: Colégio do Sardão
Contactos: direccao@colegiodosardao.org

A REDE – EM REDE

A REDE – EM REDE

A REDE – EM REDE

Dizemos que educar com as Irmãs Doroteias é encarnar/ viver uma espiritualidade, um modo próprio de ver, de relacionar-se, de agir, ao jeito de Santa Paula, que tem como fonte o Evangelho e nos identifica e unifica… 

Esta é a rede profunda que nos sustenta e acolhe, mas que se constrói connosco no dia a dia, em passos concretos, que nos fazem a todos e a todas ser, em todos os Centros e a partir de todos os Centros, os fios que fazem o entrelaçado da rede, a relação que nos faz “um só coração e uma só alma em Jesus”, como quis/ quer Santa Paula para a nossa maneira de viver.

Os textos que vamos encontrar nesta NewsletterOs fios e a rede: entrelaçar / Desconfinar em tempo de confinamento / #Independência e #Interdependência: os avanços partilhados / A Participação das Crianças e Jovens e a Aprendizagem em Rede / Perfil do Educador dos Centros Educativos das Irmãs Doroteias – dão conta, exatamente, de passos concretos desta caminhada, evidenciando palavras e expressões que se tornam pérolas desta riqueza partilhada/ multiplicada, porque são os “nós” que a constroem e nos constroem como um “nós”:

Entrelaçar, um todo, partilha, laços, atar, articulação, participação, cooperação, aprendizagem conjunta, planear e ajustar em conjunto, ouvir a Rede, processo em conjunto, inter-Centros, trabalho colaborativo – cooperativo, investigação colaborativa, interdependência profissional, diálogo profissional, Família, Horizonte comum, Projeto comum, Áreas de inovação comuns, Referenciais comuns…

Santa Paula diz-nos, hoje, como dizia às suas Irmãs:

“Procurem animar-se mutuamente, e o que uma sabe ensine-o à outra…”. (C 169,3)

“Alegra-me muito que escreva para as outras casas; mantenhamo-nos unidas e ajudemo-nos mutuamente, mesmo à custa de sacrifícios”. (C 539,16)

#Independência e #Interdependência: os avanços partilhados

#Independência e #Interdependência: os avanços partilhados

#Independência e #Interdependência: os avanços partilhados

O exercício de refletir sobre as diferentes etapas da intervenção educativa de natureza curricular, desde a conceção do currículo até à avaliação, passando pelo seu desenvolvimento, faz realçar a importância decisiva do papel do professor enquanto agente de inovações e mudanças que contribuem para um processo de aprendizagem significativo. Torna-se, portanto, evidente que a gestão curricular pressupõe uma atividade dinâmica e contínua, implicando o sistemático desenvolvimento pessoal e profissional do professor. Ao mesmo tempo, a gestão curricular significa o envolvimento do professor em processos de investigação colaborativa com os colegas, tendo subjacente a cooperação facilitadora dos órgãos de gestão pedagógica. 

Foi neste âmbito que no ano letivo de 2020/2021 foi desenvolvida uma nova iniciativa no âmbito do PB21, em particular, na oficina de inovação pedagógica de Gestão do Currículo. Adotando uma lógica de investigação-ação, cada centro educativo é responsável pela investigação de uma metodologia ativa e/ou obra de referência desta oficina, competindo a cada professor(a), apropriar-se, de modo independente, do essencial no que respeita à sua relação com a gestão do currículo e fomentar a partilha. Trata-se de uma dinâmica com referenciais teóricos, mas onde o contexto (de cada centro, de cada docente, de cada ano de escolaridade/ciclo educativo) é fulcral para um entendimento mais ajustado e potenciado dos fundamentos da gestão do currículo. Com efeito, este trabalho de investigação colaborativa tem ainda promovido, no terreno, a participação de alguns docentes em experiências de gestão de currículo que, acreditamos, conduzirão, numa fase seguinte, a uma reflexão fértil, precursora de inovações e mudanças curriculares.

É de salientar que estes momentos têm permitido consubstanciar a interdependência profissional numa lógica de rede e em rede, trabalho que nos leva facilmente a concluir que tal relação é a mais favorável para a concretização dos valores subjacentes do PB21.

Autoria: Daniela Gonçalves; Helena Marques
Oficina de Inovação Pedagógica: Gestão do Currículo
Contactos: dag@esepf.pt; helena.marques@csdoroteia.info

Os fios e a rede: entrelaçar

Os fios e a rede: entrelaçar

Os fios e a rede: entrelaçar

Fui espreitar… “Rede”- Malha feita de fios entrelaçados, com espaços regulares (Dicionário Priberam da Língua Portuguesa).

Perfeito. Haverá melhor e mais simples forma para explicar o que é esta vontade enorme, vital, potenciadora, de constituirmos uma Rede de Centros Educativos?

Uma rede feita de fios diversos que mantêm a sua identidade mas que se entrelaçam para, em conjunto e sob uma nova forma, constituir algo maior, diverso na sua capacidade, nas suas funções, na sua abrangência, no seu resultado.

Uma rede leva cada fio mais longe, dá-lhe outro sentido. 

Ela é um todo muito maior do que as partes.

Desde o início foi claro que o Bússola 21 era um projeto de uma Rede, de uma rede educativa. E que só faria sentido com a participação de todos os Centros Educativos das Irmãs Doroteias, num sistema de cooperação e de aprendizagem conjunta. 

Foi nessa perspetiva que se começou por OUVIR a rede. Que se PLANEARAM áreas de inovação comuns. Que se IMPLEMENTARAM Oficinas de Inovação Pedagógica inter-Centros. Que se criaram, para a rede, referenciais como o Perfil dos Alunos, Gestão de Currículo, Guia da Participação e serão concluídos o da Educação da Interioridade e da Educação Integral, bem como o Perfil do Educador (Docente e Não Docente). 

A construção da Rede também tem sido feita de (aparentemente) “pequenas” coisas: aspetos comuns em Regulamentos Internos; políticas de tratamento de dados pessoais; plataformas de gestão escolar; partilha de planos estratégicos; construção de informações para pais, planos diversos, etc., etc.

Recentemente, foi possível refletir… discordar ou concordar, sobretudo planear e ajustar em conjunto uma forma de agir perante uma situação de emergência/inesperada (a impossibilidade de realização de educação à distância durante as 2 semanas de interrupção letiva). A rede funcionou de forma protetora e prospetiva, não apenas para narrativas pós-ocorrência.

É fácil… e está sempre a acontecer? Não.

Mas acontece cada vez mais e de forma natural. É verdade que exige intencionalidade… uma espécie de disciplina constante… uma pergunta prévia ao ímpeto da ação local: como podemos trazer a rede para isto, para “aqui”?

É este entrelaçar, criar laços, atar e apertar que nos leva longe.

Autoria: Maria Sousa Soares
Centro Educativo/Instituição: Colégio Nª Sª da Paz
Contacto: mariasousasoares@colegiodapaz.org

Neste mês de agosto de 2020, iremos ter a dinâmica “HolyDays”.

Apesar da missão Tendas na Praia não se poder realizar presencialmente, desafiamos os diferentes grupos de jovens a criar uma mensagem diária.

Assim, nasceram os HolyDays, uma mensagem curta com a liturgia diária, uma frase de santa Paula Frassinetti e uma sugestão (imagem, filme, música, livro, …), para refletir e nos fazer lembrar que “Deus não faz férias”. Começam amanhã em todas as plataformas!


Relembrando o lema da missão Tendas: Nas Férias Deus não faz férias… vem cada dia ao nosso encontro com uma mensagem.

Já recebeu a sua MENSAGEM DO DIA? então clique AQUI a partir de 2 de Agosto.

SERVIÇO A UM POVO 5 X 5

equipa da Pastoral Juvenil e Vocacional das Irmãs Doroteias constatou que, neste Verão, não existem condições para assegurar a realização do Serviço a Um Povo nos moldes habituais.

No entanto, sonhou o Serviço a Um Povo5 X 5… uma missão diferente … com o desafio de passar da distância à proximidade … do meu ao nosso … da ação à compaixãoda segurança à preCaridade.

O que é?

Uma experiência de Serviço/Voluntariado/Anúncio na tua casa, na tua comunidade.
Em comunhão com outros jovens que também entrem nesta aventura, com um tempo de encontro por zoom diário para a partilha da missão e convívio.

O que é SP 5×5?

Uma missão em 5 dias com 5 momentos diários:

  • 2 esquemas de oração diários: pela manhã receberás uma oração comum; à noite um tempo de oração em Comunidade via Zoom;
  • momentosde serviço :1 dentro da tua casa e 1 fora de portas, na tua comunidade alargada (vizinhos, Instituição, amigos…)
  • tempo de convívio à noite em Zoom.

Objetivos:

  • Fazer a experiência de desinstalação.
  • Ser ajuda e presença amiga junto de quem precisa: na família, junto de alguém que conheças ou alguma instituição perto de ti;
  • Viver e partilhar experiências de serviço e de fé com outros jovens.

Quando?

  • De 27 a 31 de julho 2020

Onde? 

  • Na tua casa, na tua comunidade.

Quem se pode inscrever?

Jovens a partir do secundário, disponíveis para servir e através de pequenos gestos, serem rosto de uma presença amiga e disponível.

Terás 3 modalidades de participação:

Menores de 18 anos:

  • Vizinho amigo: os tempos de serviço terão que ser dentro de casa/prédio.

Maiores de 18 anos:

  • Instituição amiga: és tu que encontras uma Instituição/local onde fazer o serviço fora de portas;
  • Servir novos amigos:será a equipa a indicar um Instituição/local onde irás desenvolver o serviço fora de portas;
  • Vizinho amigo: os tempos de serviço terão que ser dentro de casa/prédio.

Servir quem?

  • Quem está mais próximo de ti e precisa da tua ajuda: a tua família e alguém/ ou alguma instituição da tua zona que precise da tua ajuda.

Equipa responsável:

  • Irmã Paula Martins e Rafael Rebordão

O que é necessário para realizar a atividade?

  • KIT diário que te será enviado pela equipa via email.
  • Boa vontade e disponibilidade,
  • Acesso a net e ao programa Zoom,
  • Telemóvel ou computador.
X