Os fios e a rede: entrelaçar

Fui espreitar… “Rede”- Malha feita de fios entrelaçados, com espaços regulares (Dicionário Priberam da Língua Portuguesa).

Perfeito. Haverá melhor e mais simples forma para explicar o que é esta vontade enorme, vital, potenciadora, de constituirmos uma Rede de Centros Educativos?

Uma rede feita de fios diversos que mantêm a sua identidade mas que se entrelaçam para, em conjunto e sob uma nova forma, constituir algo maior, diverso na sua capacidade, nas suas funções, na sua abrangência, no seu resultado.

Uma rede leva cada fio mais longe, dá-lhe outro sentido. 

Ela é um todo muito maior do que as partes.

Desde o início foi claro que o Bússola 21 era um projeto de uma Rede, de uma rede educativa. E que só faria sentido com a participação de todos os Centros Educativos das Irmãs Doroteias, num sistema de cooperação e de aprendizagem conjunta. 

Foi nessa perspetiva que se começou por OUVIR a rede. Que se PLANEARAM áreas de inovação comuns. Que se IMPLEMENTARAM Oficinas de Inovação Pedagógica inter-Centros. Que se criaram, para a rede, referenciais como o Perfil dos Alunos, Gestão de Currículo, Guia da Participação e serão concluídos o da Educação da Interioridade e da Educação Integral, bem como o Perfil do Educador (Docente e Não Docente). 

A construção da Rede também tem sido feita de (aparentemente) “pequenas” coisas: aspetos comuns em Regulamentos Internos; políticas de tratamento de dados pessoais; plataformas de gestão escolar; partilha de planos estratégicos; construção de informações para pais, planos diversos, etc., etc.

Recentemente, foi possível refletir… discordar ou concordar, sobretudo planear e ajustar em conjunto uma forma de agir perante uma situação de emergência/inesperada (a impossibilidade de realização de educação à distância durante as 2 semanas de interrupção letiva). A rede funcionou de forma protetora e prospetiva, não apenas para narrativas pós-ocorrência.

É fácil… e está sempre a acontecer? Não.

Mas acontece cada vez mais e de forma natural. É verdade que exige intencionalidade… uma espécie de disciplina constante… uma pergunta prévia ao ímpeto da ação local: como podemos trazer a rede para isto, para “aqui”?

É este entrelaçar, criar laços, atar e apertar que nos leva longe.

Autoria: Maria Sousa Soares
Centro Educativo/Instituição: Colégio Nª Sª da Paz
Contacto: mariasousasoares@colegiodapaz.org

X