Chamei-vos Amigos…permanecei em Mim

Jesus chama cada um na situação concreta da sua vida

Leitura

Passando ao longo do mar da Galileia, viu Simão e André, seu irmão, que lançavam as redes ao mar, pois eram pescadores. E disse-lhes Jesus: «Vinde comigo e farei de vós pescadores de homens.» Deixando logo as redes, seguiram-no.
Um pouco adiante, viu Tiago, filho de Zebedeu, e João, seu irmão, que estavam no barco a consertar as redes, e logo os chamou.
(Mc 1, 16-19)

Graça a pedir

Pedir a graça de não ser surdo para ouvir Jesus que me chama pelo nome e determinação de coração para acolher o que me pede.

1º ponto – Jesus chama

Jesus passa pelo local de trabalho de Simão e André, vê-os a lançar as redes e chama-os.

Ele tem uma “promoção” assegurada para cada um.

Parte do que sabem fazer e oferece, a cada um, uma pesca ousada. “Eu farei de vós pescadores de homens” lançando as redes noutros mares….

Os dois confiaram e foram com Ele. Assegura-lhes formação adequada para aquilo que lhes pede e o sucesso é garantido.

Mais adiante vê dois irmãos a consertar as redes e também os chama. Chama a não perder tempo com as redes vazias, com o que não dá de comer e a investir numa relação com Ele. Eles deixaram as referências afetivas (pai) e económicas (assalariados) e foram com Ele, libertos de qualquer tipo de amarras.

Também hoje Jesus passa na vida de cada um, chama na hora de cada um, no local de trabalho de cada um. Chama a cada um pelo nome, para permanecerem com Ele e aprenderem com Ele um novo modo de estar e de se relacionar consigo, com os outros, com o trabalho e com o mundo.

2º ponto – Paula também chama

1831 – Entre Paula e Mariana nasceu uma bela amizade. Mais de cinquenta anos depois, Mariana conservava vivíssima a recordação do primeiro encontro, no dia mais belo da sua vida: ‘o coração batia-me forte de alegria e comoção’ e parece que, depois dos primeiros encontros, também Paula procurava a companhia da amiga.

Mariana não tardou a comunicar a sua felicidade a outras jovens da terra, e estas começaram a segui-las de longe… ”Quem são aquelas jovens? – perguntou Paula a Mariana. ”Chama-as!”

Em breve, cresceu o grupo… Juntas faziam projetos. A força da amizade e a sua riqueza interior abria-lhes horizontes de entrega e serviço. (cfr Rosa Rosetto, pp. 36-39) 

1835 – Paula envia Mariana Danero e Teresa Albino para Génova onde assumiram uma escolinha. Entretanto, em Quinto, uma das companheiras começou a ficar cansada…o grupo ressentiu-se…o Sr. João Batista Frassinetti ameaçou mandar buscar a filha à força se ela não voltasse, espontaneamente, para casa. Paula tomou a decisão de dissolver a comunidade… 1836 – Paula assegurou a Mariana Danero e Teresa Albino que, em breve, se reuniriam de novo com as companheiras fiéis. Aquele dia de Páscoa de 1836 foi uma nova Fundação. A alegria de se reencontrarem e de retomarem o caminho foi maior que a separação e, passados poucos meses, a casa já era pequena para acolher as novas que chegavam. (cfr Rosa Rosetto, pp. 56-58)

3º ponto – Também sou chamado

Jesus chama aqueles que manifestam disponibilidade de coração para aceitarem viver, com Ele, uma relação de intimidade e compromisso mútuo. Paula, num primeiro momento, acolhe todas as que chegam; num segundo, reúne-se com as que foram fiéis ao sonho de continuar a missão de Jesus no mundo, através da Educação Evangelizadora.

  • A que me chama Jesus? Que convite me faz? Que estou a fazer e preciso deixar porque já não é resposta ao que Jesus me pede, hoje?
  • Sinto que estou no lugar de missão que Deus me chama a ocupar?

Bênção Final

Abençoe-nos o Pai com a Sua Omnipotência,
Abençoe-nos o Filho com a Sua Sabedoria,
Abençoe-nos o Espírito Santo com a Caridade. (Santa Paula Frassinetti)

X