Reestruturação dos Jardins da Obra Social Paulo VI: uma vivência de participação

Este projeto teve o seu início no decorrer do ano letivo anterior, fruto da vontade manifestada por algumas crianças em querer inserir algumas mudanças no espaço exterior do Centro Educativo. As suas propostas foram a discussão em Assembleia, tendo sido decidido começar pela ideia que reunia mais consenso e entusiasmo: a cozinha de lama, que atualmente faz as delícias das crianças. No entanto, muitas das ideias que haviam sido partilhadas ficaram por realizar devido ao fecho abrupto das escolas. Assim, já este ano letivo, na primeira Assembleia de Centro, e porque as crianças mantinham o seu desejo de enriquecer os jardins, voltamos a abordar este tópico, tendo surgido, pela sua voz, as seguintes sugestões para introdução de novas áreas, equipamentos ou materiais:

“Um ateliê de expressão plástica com um carrinho de tintas e folhas.”

“Uma área de construções com blocos de madeira, carros e estradas.”

“Tendas com caixas de areia e camas de rede”

“Ter mais motas e trotinetes.”

“Uma cozinha de lama no jardim dos mais pequeninos.”

“Um comboio para brincar no jardim para cabermos lá dentro.”

Feitas as propostas e mediante aprovação das mesmas, foram divididas as tarefas pelos diferentes grupos de crianças, ficando todos com algo para fazer (planear, recolher material, organizar, escrever cartas aos pais), quer por sala quer juntando-se a outro grupo que tinha o mesmo interesse. 

Algumas destas ideias já estão em andamento, como é o caso do projeto de construção de um comboio que permita que as crianças entrem e brinquem no seu interior. Este grupo começou por planear graficamente o comboio que queria construir, incluindo todas as características que consideraram importantes. Lembraram-se depois de convocar o carpinteiro da nossa escola para uma reunião com o propósito de apresentar o seu projeto, tendo em conjunto negociado os materiais a utilizar e a forma como a sua proposta se poderia concretizar. Agora, mãos à obra, que o entusiasmo é muito e o comboio que nasceu da cabeça das crianças vai ganhar vida e embarcar em mil viagens. Será o SEU comboio. 

Este é um pequeno exemplo que ilustra como a participação efetiva das crianças nas dinâmicas do Centro é impulsionadora das mais variadas aprendizagens, entre as quais destacamos a capacidade de fazer escolhas, tomar decisões, projetar, negociar ou colaborar com pares e adultos. Estamos certos de que a participação e intervenção direta das crianças na vida do centro contribui para o desenvolvimento de cidadãos ativos, críticos e transformadores da realidade. Uma realidade que é a sua, que a si pertence e diz respeito. 

Autoria: Daniela Martinho e Kathy Silva
Centro Educativo: Obra Social Paulo VI 
Contactos: daniela.martinho@obrasocialpaulovi.pt e katherine.silva@obrasocialpaulovi.pt

X