A minha voz, a nossa voz

“A minha voz, a nossa voz” tem como objetivo a aplicação de instrumentos/estratégias de organização social nas vivências diárias com as crianças (Plano do dia, diário de grupo, mapa de atividades, assembleias de grupo, mapa dos responsáveis, comunicações). A intencionalidade é potenciar ainda mais o seu envolvimento nas rotinas/dinâmicas de sala/Instituição onde lhe deve ser dada a voz, de acordo com o seu direito de participação. Perante a interrupção das atividades letivas presenciais, o projeto tornou-se ainda mais desafiante: Dar continuidade à utilização destas estratégias, já iniciadas em contexto escolar, mas agora numa situação de intervenção educativa à distância. Foi possível privilegiar as boas práticas de participação da criança continuando a acreditar na importância do seu envolvimento na planificação/avaliação das atividades diárias e na continuidade da construção de aprendizagens significativas. 

 Algumas das nossas práticas de promoção da participação da criança…Agora à distância! 

A nossa intervenção caracterizou-se pela realização de atividades síncronas diárias (videochamadas)/atividades assíncronas(partilhadas na plataforma pedagógica utilizada como meio de comunicação com as famílias). Estes momentos foram planeados e geridos pelas próprias crianças, dando corpo a esta prática tão importante que é considerar a sua voz.

Nas videochamadas realizavam assembleias de grupo semanais para planificar/avaliar em conjunto: as crianças decidiam o que fazer diariamente nas atividades síncronas/assíncronas (construíam um plano semanal) e avaliavam as dinâmicas realizadas. Nestas ocasiões expressavam como era motivador sentirem-se escutadas.

Demos voz às crianças através de momentos diários de partilha: realizavam apresentações/comunicações em direto sobre as suas descobertas e aprendizagens. 

Dinamizavam projetos de produção que eram do seu interesse e apresentavam com o maior entusiasmo as suas realizações a todo o grupo, mantendo-se unidas na partilha de aprendizagens e saberes. 

Num inquérito de satisfação, os Pais destacaram como aspetos mais positivos desta intervenção o contacto diário, a rotina que se manteve, a diversidade das propostas e a adequação aos interesses das crianças.

Também as crianças foram escutadas: “Adoro as minhas reuniões”, “As aulas eram diferentes mas engraçadas”, “Gostei de participar nas videochamadas e ver os meus amigos todos os dias.”

Mesmo à distância… dar voz às crianças foi sempre a prioridade de toda a equipa. E assim, foi possível dar continuidade a um projeto que tem como objetivo colocar, cada vez mais, as crianças no centro de todo o processo de ensino-aprendizagem. Fica o sentimento de realização e, mesmo perante uma distância física que se impôs, a proximidade entre todos foi sentida diariamente.  

Autoria: Adriana Moreira, Ana Rodrigues, Dores Maciel, Sandra Esteves, Teresa Casal
Centro Educativo: Instituto S. José 
Contactos: ed.adriana@institutosjose.pted.ana@institutosjose.pted.dores@institutosjose.pt;
 ed.sandra@institutosjose.ptteresacasal@institutosjose.pt

X