PASSAR à conversão de coração: 3º Domingo de Quaresma

3Domingo Quaresma Site

Símbolo de Santa Paula:

Poço: O poço tem um simbolismo importante para as irmãs Doroteias. Na história da Congregação destacam-se dois poços: o poço de Quinto e o poço de Roma.

O poço de Quinto foi o lugar onde Santa Paula lavou a roupa das Irmãs “enfermeiras” que tratavam os doentes vítimas da epidemia de cólera, que abalou Génova em 1835. Paula também se voluntariou para auxiliar as Irmãs, porém o pai não a deixou, no entanto apesar da proibição, Paula não deixou de ajudar, arranjando outra forma de estar ao serviço, talvez até mais arriscada.

O poço de Roma foi historicamente marcante. Numa altura de grandes conflitos contra o Papa Pio IX, Roma era atacada por todos os lados. Os Garibaldinos eram uma das frentes contra o Papa e o seu exército começava a passar sede. Quando estes foram bater à porta das Irmãs, Santa Paula não recusou ajudá-los. Foi aí que disse a famosa frase: “Enquanto houver água para nós, também haverá para vós”.

Meditando estes dois episódios podemos olhar com carinho para esta mulher, que nos inspira a dar a vida aos outros como forma de colaborarmos com Deus para a salvação do mundo. Quando percebemos que no fundo dos nossos poços habita um Deus de Amor, liberta-se em nós o desejo de dar de beber aos outros e tornando-se, então, o nosso desejo mais profundo. Que nesta semana sejamos capazes de amar os outros como Deus nos ama!

 

3ºDomingo da Quaresma

Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São João

Naquele tempo, chegou Jesus a uma cidade da Samaria, chamada Sicar, perto do terreno que Jacob tinha dado ao seu filho José. Imagem_3dquaresma_instFicava ali o poço de Jacob. Então Jesus, cansado da caminhada, sentou-se, sem mais, na borda do poço. Era por volta do meio-dia. Entretanto, chegou certa mulher samaritana para tirar água. Disse-lhe Jesus: «Dá-Me de beber.» Os discípulos tinham ido à cidade comprar alimentos. Respondeu-Lhe a samaritana: «Como é que Tu, sendo judeu, me pedes de beber, sendo eu samaritana?». De facto, os judeus não se dão com os samaritanos. Disse-lhe Jesus: «Se conhecesses o dom de Deus e quem é Aquele que te diz: ‘Dá-Me de beber’, tu é que Lhe pedirias e Ele te daria água viva». Respondeu-Lhe a mulher: «Senhor, Tu nem sequer tens um balde e o poço é fundo: donde Te vem a água viva? Serás Tu maior do que o nosso pai Jacob, que nos deu este poço, do qual ele mesmo bebeu, com os seus filhos e os seus rebanhos?». Disse-lhe Jesus: «Todo aquele que bebe desta água voltará a ter sede. Mas aquele que beber da água que Eu lhe der nunca mais terá sede: a água que Eu lhe der tornar-se-á nele uma nascente que jorra para a vida eterna». «Senhor, – suplicou a mulher – dá-me dessa água, para que eu não sinta mais sede e não tenha de vir aqui buscá-la. Vejo que és profeta. Os nossos pais adoraram neste monte e vós dizeis que é em Jerusalém que se deve adorar». Disse-lhe Jesus: «Mulher, acredita em Mim: Vai chegar a hora em que nem neste monte nem em Jerusalém adorareis o Pai. Vós adorais o que não conheceis; nós adoramos o que conhecemos, porque a salvação vem dos judeus. Mas vai chegar a hora – e já chegou – em que os verdadeiros adoradores hão-de adorar o Pai em espírito e verdade, pois são esses os adoradores que o Pai deseja. Deus é espírito e os seus adoradores devem adorá-l’O em espírito e verdade». Disse-Lhe a mulher: «Eu sei que há-de vir o Messias, isto é, Aquele que chamam Cristo. Quando vier há-de anunciar-nos todas as coisas». Respondeu-lhe Jesus: «Sou Eu, que estou a falar contigo». Muitos samaritanos daquela cidade acreditaram em Jesus, por causa da palavra da mulher. Quando os samaritanos vieram ao encontro de Jesus, pediram-Lhe que ficasse com eles. E ficou lá dois dias. Ao ouvi-l’O, muitos acreditaram e diziam à mulher: «Já não é por causa das tuas palavras que acreditamos. Nós próprios ouvimos e sabemos que Ele é realmente o Salvador do mundo». (Jo 4,5-42)

Para refletir:

  •  Dá-me de beber
    Os samaritanos eram considerados impuros pelos judeus, porém Jesus faz um pedido inesperado. Jesus faz-nos muitas vezes o mesmo pedido… a partir do inesperado, o Senhor vai-nos tocando. Que pedidos inesperados sinto que Jesus me faz hoje? Que dificuldades coloco aos pedidos de Jesus? Acredito apenas nas minhas forças ou confio que o meu desejo basta e Deus fará brotar em mim “uma nascente que jorra para a vida eterna”?
  • Senhor (…) dá-me dessa água (…)
    Acredito que a única água que pode matar a verdadeira sede é a água que vem da Palavra? A oração é um dos lugares oportunos onde podemos abrir-nos e desejarmos com todo o nosso ser esta água; sabendo que num primeiro momento o Senhor nos chama a dar de beber e num segundo desperta em nós o desejo de lhe retribuir o pedido. Que tempo dou à oração durante o meu dia?

 

Frase da Semana:

“Enquanto houver água para nós, também haverá para vós”. Paula Frassinetti