PASSAR à conversão de coração: 2º Domingo de Quaresma

Imagem_2dquaresma_site

Símbolo de Santa Paula:

Monte Moro: O símbolo do Monte Moro acompanha-nos desde o início e é para nós o símbolo do sonho de Deus e da amizade. Eis o que nos recordam as Memórias:

«No domingo seguinte, (…) Paula encontrou-se com a nossa Mariana e, segundo o combinado, dirigiram-se ambas para o monte Moro, onde, sentadas na erva, diante dum espetáculo maravilhoso de natureza e de arte, deram início às suas santas conversas. O mesmo fizeram no domingo seguinte e em muitos outros.

Certa vez (…), Paula viu um grupo de jovens com os olhos fixos nela. «Quem são aquelas jovens?» – perguntou à Mariana. «São algumas companheiras minhas, muito desejosas também de a conhecer e tomar parte nas nossas conversas». «Chame-as» – continuou Paula. E aquelas jovens, felizes, num abrir e fechar de olhos puseram-se todas à volta daquela que já amavam com respeitoso amor. Paula acolheu-as com afabilidade, animou-as, convidou-as a sentarem-se, e mesmo a irem visitá-la na Casa Paroquial, todas as vezes que desejassem falar a sós com ela. E desde aquele momento sentiram-se unidas por um laço de afetuosa e santa amizade.» (pág. 15)

 

2ºDomingo da Quaresma

Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Mateus

Seis dias depois, Jesus tomou consigo Pedro, Tiago e seu irmão João, e levou-os, só a eles, a um alto monte. Transfigurou-se diante deles: o seu rosto resplandeceu como o Sol, e as suas vestes tornaram-se brancas como a luz. Nisto, apareceram Moisés e Elias a conversar com Ele. Tomando a palavra, Pedro disse a Jesus: «Senhor, é bom estarmos aqui; se quiseres, farei aqui três tendas: uma para ti, uma para Moisés e outra para Elias.» Ainda ele estava a falar, quando uma nuvem luminosa os cobriu com a sua sombra, e uma voz dizia da nuvem: «Este é o meu Filho muito amado, no qual pus todo o meu agrado. Escutai-o.» Ao ouvirem isto, os discípulos caíram com a face por terra, muito assustados. Aproximando-se deles, Jesus tocou-lhes, dizendo: «Levantai-vos e não tenhais medo.» Erguendo os olhos, os discípulos apenas viram Jesus e mais ninguém. Enquanto desciam do monte, Jesus ordenou-lhes: «Não conteis a ninguém o que acabastes de ver, até que o Filho do Homem ressuscite dos mortos.». (Mt 17, 1-9 )

Para refletir:

  • Senhor, como é bom estarmos aqui!
    Como é bom para os discípulos estarem ali junto de Jesus num momento de beleza, de presença intensa e como é bom também para nós o sabor de uma amizade autêntica. Recordo os momentos em que saboreei a beleza da presença de uma amizade. Com quem faço essa experiência de intimidade de amizade? Que sabor tem para mim? De quem e para quem sou autenticamente amigo/a? Que passos o Senhor me desafia a dar para crescer na relação de amizade?
  • Este é o meu Filho muito amado… escutai-O!
    É o próprio Deus quem nos desafia a escutar Jesus. Ao longo desta semana procuro dar-lhe mais tempo, escutá-l’O com mais atenção. Procuro falar com Ele como um amigo fala a um amigo. Procuro deixar que Ele seja mesmo meu amigo… procuro escutar como Ele me diz que também eu sou Filho/a muito amado/a de Deus…

 

Frase da Semana:

Que o Senhor se digne dar-nos ouvido apurado, inteligência clara e vontade dócil, a fim de que possamos secundar inteiramente a divina vontade”. Santa Paula Frassinetti